17 de fev de 2016

Documentos para Declaração de Imposto de Renda

Quais são os Documentos necessários para Declaração de Imposto de Renda?

Assim que a Receita Federal disponibilizar o programa para o preenchimento da Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física (DIRPF), começa a corrida. O prazo final para entrega é no último dia útil de abril.

Você já sabe quais documentos são necessários na hora de fazer a sua declaração?


PARA A DECLARAÇÃO SIMPLIFICADA:

– Número do recibo da declaração de Imposto de Renda do ano anterior. Apesar de não ser obrigatória a sua informação, as declarações em que constarem esse dado terão prioridade de processamento;
– Informes de rendimentos e salários, assim como honorários pagos e recebidos, fornecidos pela empresa em que você trabalha. Aposentados e pensionistas recebem do INSS um informe de rendimentos anuais, enquanto empresários terão um informe com todos os ganhos com o pró-labore;
– Informes com os rendimentos bancários e de aplicações financeiras, como poupança, fundos de renda fixa e variável (ações).

PARA A DECLARAÇÃO COMPLETA:

Além de todos os documentos necessários para a declaração simplicada, precisa-se destes também:
– Número do CPF de dependentes, com nome completo e grau de parentesco;
– Informes de todos os rendimentos de dependentes. Caso a declaração seja feita em conjunto, serão necessários também os do cônjuge;
– Relação de compra e venda de bens, tais como imóveis, veículos, entre outros;
– Recibos de planos de saúde ou de despesas médicas com valor pago, nome e CPF ou CNPJ do prestador de serviços. Vale ressaltar que gastos com dentistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais também podem ser informados;
– Recibos de despesas com estabelecimentos de ensino e cursos de especialização ou profissionalizantes, sejam eles do próprio contribuinte ou de seus dependentes. O CNPJ ou CPF do beneficiário devem constar nos recibos;
– Lista de aluguéis recebidos de imobiliárias e dados dos imóveis alugados (endereço, valor recebido, nome e CPF do locador). Caso se receba aluguel diretamente do locatário, é necessário apresentar os recibos (DARFs de carnê leão);
– Relação de doações recebidas de ou feitas a pessoa física ou jurídica com respectivo CPF e CNPJ do doador ou beneficiário. Se foi quantia de dinheiro o objeto de doação, o valor doado ou recebido deve ser informado também;
– Despesas com INSS pago a empregado doméstico. Devem ser informados o NIT, o nome completo e o valor pago ao empregado. O comprovante de regularidade do empregado doméstico no Regime de Previdência Social também deve ser apresentado;
– Valores pagos ou recebidos por pensão alimentícia que tenha tido valores acertados judicialmente;
– Declaração de todos os valores pagos a planos de previdência privada ou ao Fundo de Aposentadoria Programada Individual;
– Comprovantes de dívidas contraídas, empréstimos solicitados e financiamentos feitos no ano anterior;
– No caso de trabalhadores autônomos, apresentação de livro caixa, constando todas as saídas e entradas de valores;
– Numero de conta e agência e nome do banco para depósito, caso tenha valores a serem restituídos ao contribuinte ou à Receita Federal.
Se você não sabe qual o modelo de declaração é o mais adequado para o seu caso, não se preocupe. O próprio programa da Receita Federal mostra ao contribuinte qual desses dois modelos é mais vantajoso.

Neste link você poderá acessar o site da Receita Federal e baixar o Programa da Declaração assim que estiver disponibilizado : http://idg.receita.fazenda.gov.br/orientacao/tributaria/declaracoes-e-demonstrativos/dirpf/entrega-da-declaracao-do-irpf/download-programas-dirpf

Angelolp@gmail.com


9 de nov de 2015

QUAIS AS DIFERENÇAS ENTRE MBA E PÓS GRADUAÇÃO?

QUAIS AS DIFERENÇAS ENTRE MBA E PÓS GRADUAÇÃO?

Muitas pessoas não sabem qual a real diferença entre as nomenclaturas que dão título a alguns dos cursos de Pós-Graduação oferecidos por diversas instituições, como a Trecsson Busines FGV.


Pós Graduação

Primeiramente, Pós-Graduação é tudo quem vem depois da Graduação. Seja ela, uma especialização, mestrado ou doutorado.


Existem dois tipos de Pós-Graduação: o Lato Sensu e o Stricto Sensu. O Lato Sensu consiste em uma especialização, que aperfeiçoa aspectos do profissional focado em uma área específica direcionado para o mercado de trabalho. É indicado para profissionais de diferentes áreas que procuram um diferencial e desejam focar sua atuação no mercado.


Já o Stricto Sensu é direcionado para o aspecto acadêmico das áreas profissionais, e consiste nos mestrados e doutorados. Este tipo de pós e é indicado para quem deseja seguir a carreira de pesquisador ou professor universitário. O mestrado costuma vir ‘antes’ do doutorado, que é mais complexo, exige maior dedicação do aluno, e maior aprofundamento no assunto defendido na tese de conclusão do curso.



MBA

O termo MBA foi bastante difundido nos Estados Unidos e no Brasil somente agora começa a ficar conhecido por quem procura uma Pós-Graduação, sendo a FGV uma das pioneiras no uso do termo.


MBA por sua vez, significa Master Business Administration. Nada mais é do que uma Pós-Graduação Lato Sensu, ou seja, que direciona para a especialização, o aperfeiçoamento em uma área profissional específica, focada no mercado de trabalho.


Mas então por que não chamamos de Pós? Porque o MBA se refere especialmente à área de Business, ou seja, de negócios e Gestão Empresarial. É indicado para profissionais com pelo menos três anos de experiência profissional e com presença já consolidada na área, como no caso de gerentes, diretores e presidentes.


Agora você já sabe quais as principais diferenças entre MBA e Pós Graduação. 

Fonte:
acessado em 09/11/2015

16 de jul de 2015

Concurso dos Correios

Prezados amigos e colegas que desde o começo do blog estão me acompanhando e participando ativamente do blog, obrigado. 

Desde já agradeço a colaboração, o acompanhamento, a participação e os mais de 80.000 acessos a este humilde blog, tenho certeza de que contribuí e ainda irei tentar ajudar muito para a aprovação de alguns colegas no concurso.

        Para aqueles concurseiros que não desistem de buscar algo melhor em suas vidas, digo que continuem seguindo o blog, e continuem a luta guerreiros.

Clicando aqui, você pode baixar grátis uma apostila para estudar para o concurso. 




E eu sei o que eu tenho que fazer agora. Eu tenho que continuar respirando, porque quem sabe o que a maré me trará amanhã?
                                                                                                                                  Náufrago

6 de fev de 2015

Correios por dentro - Como é um CTCE

Caros amigos hoje disponibilizo estes vídeos feitos em 2007 (se não me falha a memória) para aqueles que pretendem concorrer ao cargo de OTT (Operador de Triagem e Transbordo) terem uma pequena visão de como é este setor. São vídeos de pouca qualidade, mas a intenção é das melhores.

Nesta noite fui convidado por um supervisor do CDD para fazer um extra na Central, porém, algo falhou em nossa comunicação, pois ao chegar no local percebi que naquela noite não havia plantão, por outro lado foi até bom pois gravei estes vídeos e posso disponibilizá-los aos leitores deste blog.






Obrigado pela visita, deixe seu comentário abaixo.


21 de jan de 2015

O que é GIP Correios - Gratificação de Incentivo à Produtividade

GRATIFICAÇÃO DE INCENTIVO À PRODUTIVIDADE-GIP

   Fui questionado por um leitor do Blog sobre a GIP, como já saí do correios e estou em outro órgão, estava desinformado mas localizei as informações e aqui está a forma de incorporação ao salário, principalmente para conhecimento dos futuros colegas que pretendem fazer o concurso quando sair um novo edital: 

A ECT concede aos empregados a partir 1°/8/2014, reajuste salarial no valor fixo correspondente a 6,5% (seis vírgula cinco por cento) da referência salarial ocupada pelo empregado em agosto de 2014, pago na forma de gratificação, denominada Gratificação de Incentivo à Produtividade – GIP.

Nos casos em que o valor apurado com a aplicação do percentual for menor que R$ 200,00 (duzentos reais), aplicar-se-á o valor fixo de R$ 200,00 (duzentos reais). Caso contrário, havendo um resultado maior de R$ 200,00 (duzentos reais), considerar-se-á, para efeitos da GIP, o valor mais vantajoso para o empregado.

A GIP não é abono

Como o próprio nome diz, é uma gratificação a produtividade da empresa. 

Diferente do abono, a GIP será incorporada ao salário de acordo com a lucratividade da empresa.


Como será a incorporação:

50% da GIP será incorporada à referência salarial, de acordo com o lucro líquido;

25% da GIP será incorporada à referência salarial em maio de 2015;

25% da GIP será incorporada à referência salarial em maio de 2016;

A GIP tem um valor correspondente a 6,5% da referência salarial (salário base), sendo que o valor não poderá ser inferior a R$ 200.


Ao passo que a empresa obtenha lucro, parte desse valor será incorporado ao salário base. 

Além disso, haverá duas parcelas de 25% a ser incorporada, independente do lucro.


Para entender melhor, vamos visualizar alguns exemplos:

Exemplo:

Até Maio/2015

NM-01 R$ 1.084,35 + GIP R$ 200,00 = R$ 1.284,35


Após Maio/2015

Lucro de R$ 300 milhões (ILUSTRATIVO)

NM-01 = R$ 1.164,35 (R$ 30 baseado no lucro líquido + R$ 50 da parcela de 25%) +GIP R$ 120,00

= R$ 1.284,35

O valor de R$ 30,00 é baseado no cálculo de 10% da GIP (parcela referente ao lucro) para cada R$ 100 milhões de lucro líquido.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Fale com a gente.

Para fazer contato, clique aqui


Receba atualizações por e-mail